Dark Horse - ilustre desconhecido - foi uma alcunha que Margaret Anstee me pôs quando o meu nome apareceu para dirigir as eleições angolanas de 1992 e que eu alegremente adoptei. É suposto ser um acto de humildade assumir-me um ilustre desconhecido, mas não é assim. Dessa imagem parda e difusa tenho procurado fazer uma mais brilhante e notada. Este site é uma prova disso. Acrescentei um rabo de cavalo - que é o que significa tail - como quem acrescenta um conto - que é como quem diz uma tale  - história em língua inglesa. Não serei um cavalo de corrida que leve todos de vencida mas fico feliz com cada visita que recebo aqui na minha box.

Onofre dos Santos

Nascido e criado em Luanda, estudei Direito em Coimbra e fui advogado e juiz em Angola até à sua independência.

 

Em 1992 dirigi as suas primeiras eleições multipartidárias e democráticas. Posteriormente, e durante mais de uma década, fui consultor eleitoral (Nações Unidas, PNUD) em países tão diversos como a Guiné-Bissau, Serra Leoa, Bangladesh, Croácia, Lesotho, República Centrafricana, Níger, Ghana e Costa do Marfim.

 

Em 2008 integrei o corpo de Juízes do Tribunal Constitucional de Angola tendo cumprido o meu mandato até 2017, passando desde então a dedicar-me apenas à escrita. Os meus livros embora relatem algumas das minhas experiências em Angola e fora dela, procuram ser mais do que relatos dessas vivências, invenções de tudo o que poderia ter sido diferente, ou talvez não. É uma avaliação que deixo aos meus leitores que sempre me poderão contactar através deste meu sítio na Internet ou por qualquer outra via.