Luanda alternativa

March 4, 2017

Primeiro sábado de Março, o mercado do artesanato enche de curiosos o calçadão da ilha, na expectativa de alguma novidade ou na compra de um presente barato com muita cor e gosto local, desde as pinturas exóticas resplandecendo ao sol até às esculturas que imitam guerreiros e pescadores, sendo obrigatória a revista ao tecidos estampados perfilados ao longo do passeio, prontos a sair da formatura pelas mãos das simpáticas quitandeiras que os abrem como leques, revelando a ostentação de tanta beleza oculta, tudo isto para além de algumas dezenas de tendinhas em que os tecidos confeccionados à moda tomam a forma carteiras, sacos, chapéus e até sapatos e, é claro, camisas  e vestidos que transformam qualquer cliente, de preferência expatriada, numa personalidade africana.... Uma presença sempre feliz são as galinholas sarapintadas, todas parecidas mas todas diferentes, na cor e no tamanho, algumas servindo já de armação para candeeiros que em em algum lado irão dar luz à inspiração da Virgínia. Como a pracinha do artesanato dura horas não faltam locandas abrindo o apetite com fatias douradas de doces gulosos e bebidas frescas para todos os gostos para abrandar os efeitos dos 30 graus que ainda iriam subir mais no termómetro digital. Quem parece absolutamente indiferente ao calor envolvente é o manequim ali está de olhos inalteravelmente fixos no mar mesmo ali em frente, ignorando todos quantos apreciam o seu mini vestido azul, o adorno da aplicação em material local ou o lenço vermelho realçando o cabelo curto que nenhuma brisa agita. A feirinha do artesanato também alimenta sonhos multiculturalistas.     

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Junto ao Rio Catumbela...

April 3, 2017

1/4
Please reload

Posts Recentes

November 12, 2019

November 6, 2019

September 10, 2019

June 3, 2019

December 22, 2018

Please reload

Arquivo